10/12/2015 Nova Lei: Uso de drogas por motoristas vai de 13% para 33%

Operação realizada no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) da BR-163 apontou que 33% dos caminhoneiros submetidos a exames toxicológicos usaram algum tipo de droga, com prevalência para o uso da cocaína. Para o Ministério Público do Trabalho, a nova Lei dos Motoristas triplicou o uso de drogas por caminhoneiros.

Quanto aos testados na Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul (Ceasa-MS), constou-se 56% de testes positivos. Os testes ocorreram nos dias 6 e 7 de outubro e foram realizados pelo Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) com apoio da PRF, do Instituto de Análises Laboratoriais Forenses (IALF) da Secretaria de Segurança Pública do estado e do laboratório americano Labet.

Em entrevista ao Revista Brasil o procurador do Trabalho no Mato Grosso do Sul, Paulo Douglas Almeida de Moraes explicou que desde 2007 acompanha uma relação direta entre o excesso de jornada e o uso de drogas. Em testes realizados com motoristas neste período, o procurador informou que o resultado é revelador.

Segundo ele, em 2007 o nível de positividade foi de 20%, em 2012 caiu para 12% e agora em 2015 atingiu o patamar de 33%. Nos segmentos de quem transporta carga viva e perecível o índice de positividade chegou a 56%, principalmente para cocaína. Segundo ele, destes, 80% dos motoristas já tem quadro de dependência.

'Essa situação coloca em risco toda a sociedade. Todos nós utilizamos as estradas e todos nos corremos riscos de estar cruzando com motorista sem a menor condição de estar efetivamente ao volante', esclarece Paulo Douglas.

Ele fala da falta de políticas publicas, e do retrocesso com a nova lei 13103. 'Precisamos repensar dos valores efetivamente republicanos no nosso país, focados não apenas no frete barato, mas na qualidade de vida e segurança diária,'conclui o procurador do trabalho.

Data: 10/12/2015
Fonte: EBC

Compartilhe